Revista Pan-Amazônica de Saúde https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas <p><a href="https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/user/register"><strong>CADASTRE-SE</strong></a><strong> </strong>agora mesmo e envie seu trabalho para publicação. Se você já está cadastrado, acesse um dos links abaixo:</p> <p> </p> <table border="0" cellspacing="0"> <tbody> <tr> <td width="150"><a title="enviar artigo" href="https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/submission/wizard"><img src="https://ojs.iec.gov.br/public/site/images/ojsadmin/img1pt.gif" alt="Click para enviar um artigo" width="150" height="99" border="0" /></a></td> <td width="14"> </td> <td width="150"><a href="https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/submissions"><img src="https://ojs.iec.gov.br/public/site/images/ojsadmin/img2pt.gif" alt="Click para rastrear seu artigo" width="150" height="99" border="0" /></a></td> <td width="14"> </td> <td width="150"><a href="https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/submissions"><img src="https://ojs.iec.gov.br/public/site/images/ojsadmin/img3pt.gif" alt="Click para revisar um artigo" width="150" height="99" border="0" /></a></td> </tr> </tbody> </table> <p> </p> <p style="text-align: justify;"> A <strong>Revista Pan-Amazônica de Saúde</strong> (ISSN 2176-6215, ISSN-e 2176-6223) é o periódico científico editado, desde 2010, pelo <a href="https://www.iec.gov.br/portal/" target="_blank" rel="noopener">Instituto Evandro Chagas</a>, órgão de pesquisa e saúde pública da Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos, Ministério da Saúde. Com periodicidade trimestral, publica artigos nos campos epidemiológico, entomológico, ecológico, antropológico, socioeconômico, dos imunobiológicos, do meio ambiente e outros relacionados à saúde humana. Aceita contribuições em português, inglês e espanhol e, na versão eletrônica, disponibiliza artigos completos nos três idiomas, sem nenhum custo para o autor. Adota o sistema de avaliação por pares (<em>peer review</em>), segundo o qual cada artigo é avaliado por, no mínimo, dois pareceristas. Seu Corpo Editorial é formado por renomados pesquisadores nacionais e internacionais. Dispõe de DOI (<em>Digital Object Identifier</em>), o que facilita sua localização e acesso na Internet. Permite a inclusão de material suplementar – como áudio, vídeo, planilha, slide e outros. É indexada nas bases <a href="https://www.latindex.unam.mx/" target="_blank" rel="noopener">Latindex</a>, <a href="https://www.crossref.org/" target="_blank" rel="noopener">CrossRef</a> e <a href="https://www.freemedicaljournals.com/" target="_blank" rel="noopener">Free Medical Journals</a>, além das bases de dados da <a href="https://www.bvsdip.icict.fiocruz.br/" target="_blank" rel="noopener">BVS DIP – ICICT/Fiocruz</a>, <a href="https://bvs.iec.gov.br/iec/" target="_blank" rel="noopener">BVS IEC</a> e <a href="https://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_serial&amp;pid=2176-6223&amp;lng=pt&amp;nrm=iso" target="_blank" rel="noopener">Portal de Periódicos Eletrônicos do IEC</a> (Metodologia SciELO).</p> <p> </p> <p><strong><a class="tx10" href="http://revista.iec.gov.br/htm/pt/instruction.htm" target="_blank" rel="noopener">Clique aqui para acessar as Normas para Publicação</a></strong>.</p> pt-BR revista@iec.gov.br (Núcleo Editorial) suporterevista@iec.gov.br (Suporte) Tue, 04 Jul 2023 22:43:09 +0000 OJS 3.3.0.13 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Características clínico-epidemiológicas de pessoas vivendo com HIV e com neurotoxoplasmose na região oeste do estado do Pará, Brasil https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1553 <p>INTRODUÇÃO: A neurotoxoplasmose (NTX) é uma doença oportunista comum nas pessoas vivendo com o HIV (PVHIV), causada pelo protozoário <em>Toxoplasma gondii</em>, que pode surgir quando a contagem de linfócitos T CD4+ (LTCD4+) for &lt; 100 células/mm³. OBJETIVO: Analisar os perfis sociodemográfico e clínico das PVHIV que desenvolveram NTX no interior do estado do Pará, Brasil. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo descritivo, quantitativo e transversal. Amostra composta por 91 prontuários de PVHIV de um centro de referência de Santarém, no Pará, com diagnóstico para NTX. Buscou-se informações nos prontuários referentes às características sociodemográficas, clínicas e laboratoriais. Os dados foram analisados pela estatística descritiva e inferencial, adotando-se o nível de significância de p &lt; 0,05. RESULTADOS: Notou-se maior prevalência de homens (72,5%), cor de pele/raça parda (85,7%), 4–7 anos de estudos (42,9%) e solteiros (48,4%). A idade para o diagnóstico da NTX foi maior que para a infecção pelo HIV (33 <em>vs. </em>32 anos; p &lt; 0,001), e os homens, em relação às mulheres, apresentaram maior contagem de LTCD4+ (73 <em>vs. </em>49 céls./mm³; p = 0,028). As principais manifestações clínicas da NTX foram hemiparesia/hemiplegia (25,9%) e cefaleia (15,0%). Não se observou associação do sexo com manifestações clínicas, outras infecções oportunistas ou a idade para o diagnóstico de NTX (p &gt; 0,05). CONCLUSÃO: Diante das manifestações clínicas mais relevantes apresentadas, a conduta médica e da equipe de saúde deve ser direcionada para a testagem sorológica do HIV, visto que os dados demonstraram uma procura tardia pelo serviço de saúde especializado por parte dos pacientes.</p> Olívia Campos Pinheiro Berretta, Ana Núbia de Barros, Luiz Fernando Gouvêa-e-Silva, Rita Catarina Medeiros Sousa Copyright (c) 2023 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1553 Tue, 04 Jul 2023 00:00:00 +0000 Agradecimento aos revisores https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1550 <p>A RPAS, através de seus Editores Chefes, Fernanda do Espírito Santo Sagica e Isabella Maria Almeida Mateus, e Editores Científicos, Marinete Marins Póvoa e Edivaldo Herculano Corrêa de Oliveira, agradece aos revisores, abaixo relacionados, que, em 2023, gentilmente colaboraram na análise dos manuscritos enviados para publicação.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Ademir de Jesus Martins Júnior<br>Adriano Penha Furtado<br>Alessandra Cristina Guedes Pellini<br>Aline Macêdo de Queiroz<br>Ana Freitas Ribeiro<br>Ana Marli Christovam Sartori<br>Ana Yecê das Neves Pinto<br>Anderson Lineu Siqueira dos Santos<br>Angela Isabel dos Santos Dullius<br>Angela Pellegrin Ansuj<br>Antonio Marcos Mota Miranda<br>Aristeu Vieira da Silva<br>Christiane de Oliveira Goveia<br>Cléa Nazaré Carneiro Bichara<br>Eduardo de Mello Volotão<br>Eliseu Alves Waldman<br>Fernanda Santos Nascimento<br>Fernando Augusto Dias e Sanches<br>Fernando Henrique Brandão Molento<br>Glaucilene da Silva Costa<br>Gleice Maria dos Santos<br>Haroldo José de Matos<br>Igor Brasil Costa<br>Igor Christo Miyahira<br>Karen Miyuki Asano<br>Katia Cristina Bassichetto<br>Lígia Carla Faccin Galhardi<br>Luciene Barbosa<br>Luiz Fernando Almeida Machado<br>Marcos Augusto Moraes Arcoverde<br>Margarete Martins dos Santos Afonso<br>Mariane Camargo Priesnitz<br>Marta Heloísa Lopes<br>Maurício Luiz Vilela<br>Norma Suely de Oliveira Santos<br>Orlando Tobias Silveira<br>Paola Barbosa Marchesini<br>Raíssa Milena Silva Florencio<br>Renata Bezerra Hermes de Castro<br>Rodrigo Costa da Silva<br>Rosa Maria Tubaki<br>Roseli La Corte dos Santos<br>Tatiana Xavier de Castro<br>Tatyellen Natasha da Costa Oliveira<br>Volney Câmara</p> Fernanda do Espírito Santo Sagica, Isabella Maria Almeida Mateus, Marinete Marins Póvoa e Edivaldo Herculano Corrêa de Oliveira Copyright (c) 2023 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1550 Tue, 04 Jul 2023 00:00:00 +0000 Deficiências nutricionais e iniquidades em municípios do estado de Mato Grosso, Amazônia brasileira: 2007 a 2021 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1547 <p>OBJETIVO: Analisar iniquidades e deficiências nutricionais em residentes no estado de Mato Grosso, Brasil, de 2007 a 2021.<br>MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de estudo ecológico, com abordagem espaçotemporal. Os registros de internações por<br>deficiências nutricionais foram adquiridos junto ao DATASUS, sendo classificados por ano de atendimento, por municípios<br>de residência no estado de Mato Grosso e sob variáveis sociodemográficas. Foram feitas associações estatísticas sob<br>o teste de qui-quadrado, com 5% de nível de significância. Mapas temáticos foram gerados para as taxas médias, dos<br>índices de Moran Local (autocorrelação espacial) e dos aglomerados espaçotemporais. RESULTADOS: Foram analisados<br>22.302 registros, dos quais foram observadas 22.648 internações por deficiências nutricionais, com 15,7% destas em<br>crianças de até 4 anos de idade. Mais da metade dos registros de internação foi classificada como de indivíduos pardos.<br>Destaca-se também a maior quantidade de internação em idosos, que representam a faixa etária de maior tendência à<br>anemia. De forma geral, observou-se tendência de aumento nos valores das taxas médias por período, exemplificada<br>pelos mapas. CONCLUSÃO: A contradição entre deficiências nutricionais e a alta produtividade agropecuária de Mato<br>Grosso deve ser compreendida a partir de estudos interdisciplinares que visem melhorar a saúde da população local.</p> Mario Alves Copyright (c) 2023 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1547 Tue, 04 Jul 2023 00:00:00 +0000 Frequência alélica do Sistema de Grupo Sanguíneo Duffy em indivíduos de uma população da Amazônia brasileira e sua relação com a infecção por Plasmodium vivax https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1522 <p><strong>INTRODUÇÃO:</strong>&nbsp;No Brasil, a malária é a mais expressiva das endemias e está presente principalmente na Amazônia, cujas condições climáticas, hidrográficas, pluviométricas e de ocupação humana desordenada favorecem os criadouros de mosquitos vetores. A glicoproteína eritrocitária, carreando os determinantes dos antígenos de grupo sanguíneos Duffy, também chamada de<em>&nbsp;Duffy antigen receptor for chemokines</em>&nbsp;(DARC), é necessária como ligante no processo de invasão eritrocitária pelo merozoíto de&nbsp;<em>Plasmodium vivax</em>.<br><strong>OBJETIVO</strong>: Este estudo objetivou determinar as frequências dos alelos Duffy em indivíduos de área endêmica para a malária na Amazônia, relacionando suscetibilidade e resistência em adquirir a infecção por&nbsp;<em>P. vivax</em>.<br><strong>MATERIAIS e MÉTODOS:</strong>&nbsp;O Município de Presidente Figueiredo, no Estado do Amazonas, Brasil, foi selecionado para a coleta das amostras de um total de 244 indivíduos. Foram realizadas coletas de sangue total para fenotipagem e genotipagem Duffy e também uma coleta por punção digital para realização do teste da Gota Espessa, para o diagnóstico da malária. As amostras de sangue foram submetidas à fenotipagem pelo teste de hemaglutinação (DiaMed) e genotipagem dos alelos Duffy por meio da reação de polimerização em cadeia (<em>Polymerase Chain Reaction</em>&nbsp;- PCR). As comparações entre as frequências genotípicas e fenotípicas foram realizadas com base no teste qui-quadrado (χ<sup>2</sup>) de Pearson, com nível de significância de 5%. A análise estatística foi realizada pelo programa Epi Info<sup>TM</sup>, versão 3.43, Centers for Disease Control and Prevention (CDC), Atlanta, EUA.<br><strong>RESULTADOS:</strong>&nbsp;Do total de indivíduos pesquisados, 164 eram negativos e 80 positivos para&nbsp;<em>P. vivax</em>. Os achados mostram uma alta frequência do genótipo&nbsp;<em>FYAFYB</em>&nbsp;(47,5%), seguida de&nbsp;<em>FYBFY</em>&nbsp;(15,6%);&nbsp;<em>FYAFYA</em>&nbsp;(14,3%);&nbsp;<em>FYBFYB</em>&nbsp;(11,5%);&nbsp;<em>FYAFY</em>&nbsp;(8,6%) e, com 2,5%, o genótipo&nbsp;<em>FYFY</em>. A frequência dos alelos&nbsp;<em>FYA</em>,&nbsp;<em>FYB</em>&nbsp;e&nbsp;<em>FY</em>&nbsp;foi, respectivamente, de 55%, 38,8% e 6,3% em infectados e 36,3%, 45,1% e 18,6% em negativos. O genótipo nulo não foi encontrado em infectados, porém esteve presente em 3,7% do grupo negativo.<br><strong>CONCLUSÃO:</strong>&nbsp;O alelo&nbsp;<em>FYA</em>&nbsp;foi significativamente mais frequente em infectados (p = 0,00643), enquanto que o alelo&nbsp;<em>FYB</em>&nbsp;apareceu em maior quantidade no grupo negativo, mas não significativamente (p = 0,34632), e o alelo&nbsp;<em>FY</em>&nbsp;foi significativamente mais prevalente nos negativos (p = 0,00904). Corroborando com a hipótese que o alelo&nbsp;<em>FY</em>&nbsp;confere proteção, os dados mostraram que&nbsp;<em>FY</em>&nbsp;em homozigose não esteve presente no grupo de pacientes infectados com malária. Em heterozigose, o alelo&nbsp;<em>FY</em>&nbsp;mostrou ainda um decréscimo significativo na suscetibilidade encontrada para o alelo&nbsp;<em>FYA</em>, e, quando associado ao alelo&nbsp;<em>FYB</em>, mostrou uma proteção estatisticamente significativa. Esses achados sugerem que essas mutações naturais podem ser uma seleção vantajosa conduzindo a mecanismos parciais de defesa contra o&nbsp;<em>P. vivax</em>&nbsp;em áreas endêmicas.</p> Simone Weber, Wanderli Pedro Tadei, Adriana Sotero Martins Copyright (c) 2023 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1522 Thu, 05 Aug 2010 00:00:00 +0000 Cumprimento do calendário de vacinação de crianças em uma unidade de saúde da família https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1521 <p><strong>OBJETIVO:</strong>&nbsp;Analisar o cumprimento do calendário de vacinação de crianças pelos usuários da Unidade de Saúde da Família Água Cristal bem como possíveis razões para o seu eventual não cumprimento.<br><strong>MÉTODO:</strong>&nbsp;O estudo foi prospectivo, transversal e qualitativo, realizado a partir de visitas às residências das crianças pesquisadas, sendo a casuística constituída por 108 pessoas, número obtido através do registro presente nas fichas da família observadas. Incluíram-se crianças de ambos os sexos, analisando-se a faixa etária de 0 a 2 anos de idade, cadastradas na Unidade no ano de 2007.<br><strong>RESULTADOS:</strong>&nbsp;Verificou-se que 87,97% das crianças estão com a vacinação atualizada, sendo que 13,89% dessas têm histórico de atrasos. Um fator fortemente atribuído a estes bons índices foi a atuação constante dos agentes comunitários de saúde. Entre aquelas que apresentaram atraso ou não receberam as vacinas, a falta da vacina contra rotavírus foi a mais observada, em 22,46% dos casos. Foram analisados fatores que poderiam contribuir para o índice de atraso, como escolaridade e ocupação dos pais. Nenhum desses foi estatisticamente significante.<br><strong>CONCLUSÃO:</strong>&nbsp;Os resultados encontrados são comparáveis a ambulatórios de centros de referência latino-americanos, o que indica a efetividade da atuação do Programa Saúde da Família naquela comunidade. Contudo, a vacinação tem forte apelo na saúde da população e merece iniciativas de fortalecimento das ações, a fim de diminuir e evitar reaparecimento de doenças.</p> Camilo Ferreira Ramos, José Gabriel Paixão, Filipe Cunha de Sousa Donza, Anthony Mark Paiva da Silva, Danillo Feitosa Caçador, Victor Danilo Vale Dias, Évila Fernanda Lameira de Melo Sodré Copyright (c) 2023 https://ojs.iec.gov.br/index.php/rpas/article/view/1521 Thu, 05 Aug 2010 00:00:00 +0000